• Gustavo Candiota

"Me disseram que nas sextas cai." e outras frases comuns no câmbio.


Após alguns anos de mercado financeiro e operações de câmbio, os profissionais que atuam na área certamente já passaram por muitas situações peculiares, engraçadas e um tanto quanto curiosas, acompanhando o sofrimento de clientes com as oscilações das moedas. Neste post resolvi reunir algumas das mais comuns que consigo lembrar desde que trabalho com venda de moeda estrangeiras e remessas internacionais (lá se vão mais de 5 anos). Quero assim, tentar mostrar aos nobres leitores uma idéia de como é nosso dia-a-dia nesta dinâmica, corrida, complexa mas também prazeirosa atividade.

A primeira, que entitula este post, é uma das mais comuns. Pelo menos uma vez por mês recebemos ligações de pessoas que, com convicção afirmam saber que num dia específico da semana o dólar vai cair, ou sempre cai toda semana, toda sexta. Ou qualquer outro dia, depende qual foi a fonte "confiável" consultada. Afirmam isso após terem falado com algum amigo que com convicção garantiu este tipo de "fenômeno" como verdadeiro. Não, isto não é um padrão, pessoal. Não existe. O câmbio pode cair ou subir na sexta, assim como em qualquer outro dia da semana, e não reflexo de algum comportamento sazonal ou místico, mas sim por um grande conjunto de fatores: atuações do banco central, procura, especulações, expectativas de investidores, boatos, etc.

Outras frases comuns:

"Está muito caro. Me avise quando estiver barato."

Pergunto: como você sabe que está caro? Em relação a o que? Ao passado? Mas que passado? Dias atrás ou anos atrás? Devemos avisar quando estiver barato, ok, o que é barato para você?

"Eu sou muito azarado. Sempre que eu compro, cai no dia seguinte."

Fique tranquilo, se você já pensou isto, não está sozinho. Ouvimos esta frase com mais frequ