• Gustavo Candiota

5 dias seguidos de alta. A derrocada do Dólar chegou ao fim?


Depois de 5 meses de queda, estaria a moeda norte-americana próxima de encerrar este ciclo e voltar a subir? Quais as chances de ocorrer uma virada de tendência? São questionamentos que muitos viajantes e, principalmente, exportadores estão fazendo no momento.

Na visão de nossa equipe após algumas análises, apesar de, gráficamente, o dólar seguir respeitando plenamente um canal de baixa de curto prazo (veja abaixo), nada garante que este movimento vai continuar. Mas também não é descartado que tenhamos novas quedas.

Para você que está em dúvida sobre a hora de comprar moeda ou estruturar suas posições para importação/exportação, veja os fatores que podem causar novas altas ou quedas. Importante: mesmo que um ou todos aconteçam, ainda assim não é possível garantir que a direção proposta ocorra. Apenas queremos mostrar que, com elas, há mais CHANCE de acontecer o sentido informado.

Para o dólar continuar caindo, é necessário:

1) Impeachment de Dilma Rousseff ser confirmado no final de agosto;

2) Não haver novas sinalizações de aumento de juros americanos;

3) Não ocorrerem novos escândalos políticos no Brasil;

4) Resultado econômico do próximo semestre vir melhor que o esperado (inflação e prévia do PIB);

5) Petróleo continuar subindo.

Para o dólar voltar a subir:

1) Ameaça de retorno de Dilma Rousseff à presidência;

2) Novos escândalos políticos;

3) Sinalização de aumento de juros americanos antes do esperado;

4) Resultados econômicos domésticos fracos;

5) Petróleo voltar a cair;

6) Fortes intervenções do Banco Central (swaps reversos);

7) Pânico no mercado global.