• Gustavo Candiota

Copom corta juros em 0.75%, e o câmbio agradece


Entenda porque o corte agressivo na Selic era fundamental e benéfico não só para o mercado de câmbio mas para a economia brasileira como um todo. Com a redução de 75 pontos, agora o Brasil está com juros de 13% a.a. Ainda um dos maiores do mundo, mas em queda.

O país está em profunda recessão, amargando 7% de queda de PIB em 2 anos. Uma façanha superada - negativamente - apenas pela Venezuela, que entrou em colapso. Um feito e tanto para nunca nos orgulharmos. Mesmo assim, diferente do que seria o normal para um país em retração econômica, estávamos com altos índices de inflação. Como pode?

Foi um período de estagflação.

Mas o que seria estagflação e porque foi tão grave termos passado por ela? É uma combinação de alta taxa de desemprego com inflação alta, o que caracteriza forte recessão no país que a enfrenta. É mais raro, pois geralmente os países capitalistas passam ou por inflação (preços altos, alto consumo), ou deflação (preços baixos, baixo consumo). Ocorre que, nestes dois últimos, as autoridades monetárias têm mecanismos mais simples para atuar e resolver o problema, sendo que no primeiro pode aumentar os