• Gustavo Candiota

É bom se acostumar com o câmbio alto por um bom tempo

Atualizado: 19 de Dez de 2019


Esta sugestão foi feita pelo ministro da economia, Paulo Guedes, em recente evento na cidade de Washington (EUA). É uma notícia ruim para viajantes internacionais, um "balde de água fria" a quem está há semanas ou meses em orações, búzios, velas acesas, promessas, despachos nos cruzamentos, e tudo que seja válido para... que o dólar caia.

Mas... "E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará". João 8:32

As vezes a verdade é necessária, ainda que a declaração tenha sido feita em momento inoportuno, para aceitarmos de uma vez por todas a realidade. Por realidade, entenda: algo já foi muito alertado em nosso Blog, principalmente a partir de agosto/2019: O cenário agora é outro, os tempos de dólar abaixo de R$ 4,00 acabaram.

Mas por que o ministro falou isso? Pra quê esfregar na nossa cara? Será que ele não se importa com quem está sofrendo (financeiramente) às vésperas de seu embarque ao exterior? Ou ele recebe em dólares? Ou porque quer incentivar o turismo local, quem sabe...

dólar alto dor de cabeça

Nenhuma das alternativas acima. O ponto é mais complexo e profundo. Guedes quer explicar que o novo governo vai agir diferente com relação ao câmbio. Não apenas por querer mantê-lo flutuante, com poucas intervenções do Banco Central, mas também para passar tranquilidade aos mercados uma vez que a taxa real (dólar nominal + inflação doméstica - Inflação EUA) ainda está bem abaixo do que em tempos de Lula ou Dilma.

Hoje em dia vivemos momentos de taxa Selic em mínimas históricas. É muito difícil manter-se atrativo a investidores internacionais com juros baixos e moeda forte simultaneamente. Trata-se do chamado "câmbio de equilíbrio". Necessário, também, para melhorar a balança comercial.

Nas palavras do ministro:

"O juro é mais baixo e, agora, o câmbio de equilíbrio é mais alto, é bom se acostumar com isso por um bom tempo. E isso ainda não foi compreendido pela maior parte da população”

Mas e eu, que estava louco para fazer compras em Miami, o que faço? :(

Talvez tenha chegado o momento de aceitar que não está mais TÃO atrativo fazer seu enxoval de bebê ou compra de eletrônicos lá fora. Principalmente se lembrarmos dos anos 90 ou 2000. A farra do consumismo desenfreado acabou. Ainda é e sempre será maravilhoso viajar para fora do país, inclusive Miami, com tantas atrações. Mas tente enxergar essas experiências como turismo de verdade. Conhecer lugares incríveis, paisagens de tirar o fôlego, experimentar uma gastronomia distinta da nossa, praticar outros idiomas, etc.

Novo recorde histórico do dólar ante ao real, atingido em 26/11/2019 - Taxa nominal <