• Gustavo Candiota

Covid-19: Um outro ponto de vista, para pensarmos

Atualizado: 1 de Abr de 2020

É impossível testar toda a população do planeta, certo? Não há como. A taxa de mortalidade está em 4%. Mas, este não é o percentual sobre os infectados e sim sobre os TESTADOS. E na minha visão é aí que mora o problema.


Muitas decisões dificílimas e arriscadas estão se baseando na Death Ratio. Ok, já sabemos que o Coronavírus Covid-19 é altamente infeccioso e que a recomendação para não pegá-lo é ficar em casa, aqui estamos todos trabalhando de Home Office há dias. Mas... Será que a quarentena absoluta é a solução? Ela vai quebrar a economia mundial, muitos já acreditam.


E se pensarmos pelo outro lado: ontem os diretores de hemocentros de SP e RJ faziam apelo ao vivo na televisão pedindo desesperadamente que pessoas fossem doar sangue. E não havia relação alguma com a Pandemia atual. Era para os pacientes de diversas outras doenças ainda mais graves. Só que os doadores sumiram. Por quê? Estão respeitando o "lockdown", em casa, com medo até de botar o nariz pra fora da janela.


Todos os que defendem o isolamento absoluto estão com o discurso (coerente, diga-se de passagem): "Saúde em primeiro lugar, é melhor arriscar uma recessão econômica sem precedentes para preservar vidas, mesmo que dentro de alguns meses conclua-se que não foi a melhor decisão. Na dúvida, melhor parar tudo."


Será?



Com o exemplo acima dos hemocentros, temos uma amostra que o preço pode ser caro demais. Só pra dar uma ideia, se continuar assim, o índice de desemprego americano pode pode sair dos atuais 3% e chegar a 30% em poucos meses. Especialistas estimam que o Brasil poderá ter 40 milhões de desempregados, reflexo da enorme recessão econômica que talvez enfrentemos. Isso não vai tirar mais vidas?