top of page
  • Foto do escritorGustavo Candiota

Qual a maneira mais barata de fazer câmbio?

Atualizado: 7 de jul.

No mundo moderno, pós pandemia, existem várias modalidades disponíveis para fazer câmbio de moedas, cada uma com suas vantagens e desvantagens. Neste artigo, vamos explorar as diferentes modalidades do mercado e descobrir qual é a mais vantajosa.


como economizar com câmbio de moedas
Você pode estar jogando dinheiro fora e nem sabe!

1) Câmbio em espécie


O câmbio em espécie é a forma mais tradicional de fazer câmbio. Nessa modalidade, você entrega reais e recebe moeda estrangeira, ou vice-versa. No entanto, essa opção tem algumas desvantagens, como o pagamento de 1,1% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e um spread de câmbio elevado. Além disso, por óbvio é a opção menos segura pois você precisa portar valores antes do embarque e durante toda sua viagem.



2) Cartão Pré-pago


O cartão pré-pago costumava ser uma opção popular entre os viajantes. Mas, no início de 2014, o governo federal aumentou o imposto sobre essa modalidade de câmbio de 0,38% para 6,38% e liquidou o serviço. Ainda que, de 2022 pra cá a alíquota tenha sido reduzida para 4.68%, a cotação de VTM costuma ser alta como papel moeda. Portanto, não vale mais a pena fazer carga em cartão pré-pago, mesmo sendo uma opção com mais praticidade e segurança.



3) Remessa Internacional via Rede Swift


A remessa internacional via rede Swift é uma opção com um spread de câmbio menor do que o câmbio em espécie e o cartão pré-pago. O imposto é o mesmo do câmbio em espécie, 1,1%. Se você fizer uma transferência para terceiros, o imposto será de 0,38%. Prazos dos bancos costumam ser um pouco mais longos nesta opção e geralmente é cobrada uma tarifa fixa por contrato (aproximadamente 30 dólares).


Está é a alternativa mais utilizada por Pessoas Jurídicas, principalmente câmbio comercial de importação e exportação.



4) Conta Global em Dólar


Sensação do momento, que oferece boas taxas e IOF 1.10% para viajantes a lazer, principalmente. Os principais players nesse mercado são: Wise, Nomad e Avenue. Aqui o cliente tem praticidade e economia. Mas um alerta: as instituições tem a custódia da moeda dos clientes em bancos de pequeno porte, mesmo as com garantia FDIC. Outro ponto a observar é que, se você precisar de suporte para algum problema, há dificuldade em falar com um ser humano. O normal é chat com robôs ou necessidade de troca de e-mails.



5) Pagamentos Instantâneos


Os pagamentos instantâneos, como a Western Union e a Moneygram, oferecem a vantagem de um saque rápido para o beneficiário no exterior. O código sai em 15 minutos. A cotação costuma ser vantajosa, mas você não pode enviar para uma conta bancária. Utilize esta alternativa em casos de emergência e volumes baixos.



6) Carteiras Digitais


As carteiras digitais, como o PayPal, são práticas para pagamentos internacionais, mas as taxas de conversão costumam ser muito salgadas. Essa opção é mais conveniente e veloz do que econômica. Recomendado somente se o beneficiário exige.



7) Cartão de Crédito


Incide alíquota IOF de 4.68% em todas as compras internacionais + spread cambial. Tome cuidado aqui! Muitos bancos que se dizem "zero taxas" incluindo as fintechs inter, C6, Nubank aplicam uma margem de lucro (spread) bem alta sobre o dólar comercial. Em alguns casos até $ 0,20 + IOF. Só realize compras em moeda estrangeira com seu cartão de crédito se o spread for abaixo de 1% e se o serviço oferece boa taxa de conversão de milhas.


8) Plataformas Digitais (recomendado)


As plataformas digitais operam fora da rede Swift, com serviço 24h e oferecem boas taxas de câmbio em dólar, euro, libra esterlina, dólar canadense e dólar australiano. Com prazo depósito na conta beneficiária até 2 dias úteis, geralmente 1 dia útil. Além disso, algumas corretoras isentam o cliente de taxa de contrato. Essa opção é especialmente vantajosa para operações acima de $500. Consideramos o melhor custo x beneficio, com alta segurança e atendimento personalizado. Conheça a Plataforma Câmbio Inteligente!



Conclusão


Atualmente, as plataformas digitais de transferência internacional oferecem a melhor combinação taxa x agilidade x segurança.


Com spreads baixos, isenção de taxa de contrato e impostos reduzidos, essa é a forma mais econômica de fazer câmbio, desde que você envie o dinheiro para outra pessoa no exterior (necessário comprovar vínculo familiar). No entanto, é importante pesquisar e comparar as taxas oferecidas pelas diferentes plataformas para garantir a melhor opção de acordo com o volume da transação. Recomendamos a Plataforma Câmbio Inteligente.


Espero que este artigo tenha sido útil para esclarecer as diferentes modalidades de câmbio disponíveis e qual é a mais barata. Caso tenha alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo e ficarei feliz em responder. Até a próxima!



A Câmbio Inteligente recomenda





Posts recentes

Ver tudo

Comments


Inscreva-se no Canal YouTube da Câmbio Inteligente
bottom of page