Fique atento: seus dólares do cofre valem menos do que você imagina.

26/05/2016

Sabe aqueles preciosos dólares que estão muito bem guardados no cofre ou esconderijo em sua casa, há anos, décadas, séculos? Aqueles que lhe dão total segurança caso a economia entre em colapso, caso o governo confisque a poupança, caso seus filhos precisem para fazer um curso no exterior, caso você queira usar para comprar um imóvel, caso você queira largar tudo e dar a volta ao mundo? Aquela moeda que nunca desvaloriza, a mais forte e confiável do planeta, o patrimônio menos volátil que pode existir?

 

Pois temos uma notícia ruim para dar sobre estas verdinhas: elas valem bem menos do que você imagina.

 

Com a forte valorização da moeda norte-americana nos últimos 12 meses, muitas pessoas que por anos guardaram em seus cofres milhares de dólares adquiridos a décadas, estão hoje querendo vendê-los para ganhar dinheiro. Daria para considerar um ótimo investimento, vendê-los muito mais caro agora, lucrando com esta transação de longo prazo. Mas... o que muitos não sabem é que cédulas antigas, e quando dizemos antigas são as muito antigas (anos 70, 80), valem bem menos do que a cotação que hoje você acompanha nas corretoras e casas de câmbio. Dependendo da série e do estado das notas, o deságio pode chegar a 15%. Algumas empresas nem sequer compram estas notas, por serem de difícil recolocação e porque - surpresa! - elas são de difícil aceitação nos países que circulam dólar, exceto os Estados Unidos da América.

 

Foi esta a maneira que o banco central americano encontrou para, daqui muitos anos, conseguir eliminar todas as notas muito antigas que pessoas ao redor do mundo entesouraram por gerações: elas somente estão sendo aceitas em seu país de origem de forma que, uma vez levadas até la, os estabelecimentos absorvem e, circulando domesticamente, num belo dia voltarão aos bancos de lá para serem, finalmente, incineradas e trocadas por cédulas novas. Bacana não? Não estou sendo irônico. Realmente é a melhor e única forma de renovar tanto dinheiro espalhado pelo planeta. Novas cédulas vão sendo criadas para reduzir a chance de falsificação, então trata-se de algo necessário.

 

Vou colocar abaixo exemplo de uma cédula antiga e desvalorizada no mercado de câmbio. Vá até seu cofre, traga as suas para frente do computador e compare.

 

 

Estas são as notas que você tem? Má notícia! Elas valem 15% menos* e a aceitação é somente nos EUA, conforme dito acima. Como trocá-las sem ter perda de valor? Vá viver uns dias de sonho americano e use lá. Outra sugestão: dê um presente a seus filhos que estão com o mesmo destino programado. Por último: somente se estiver precisando de dinheiro no Brasil emergencialmente, procure uma casa de câmbio e verifique a taxa oferecida. Mesmo as que aceitam, vão pagar pouco e não vão querer comprar um montante muito grande. E quando falamos pouco, é pouco mesmo.

 

*Muitas pessoas se enganam ao achar que podemos vender uma moeda estrangeira pelo preço de VENDA do mercado (aquelas que as casas de câmbio anunciam nos shoppings). Mas não, é pela cotação de COMPRA que você vai calcular sua receita ao se desfazer de seus dólares. É sobre ela que aplica-se o deságio. Ou seja, se você comparar a partir das cotações de venda do mercado, o deságio pode chegar a mais de 20% somados. Entenda melhor pelo exemplo da tabela abaixo, considerando as cotações de encerramento do dia 17/03/2017:

 

 

Ou seja, se você tem 1000 dólares iguais ao mostrado acima e achava que receberia por eles R$ 3.280 (1000 x 3.28) enganou-se. Vai na verdade vender por apenas R$ 2.610 (1000 x 2.61). 

 

Mas calma! Se no entanto, se as cédulas que você têm guardadas são conforme estas abaixo, sua situação é mais tranquila e é possível conseguir vendê-las por um preço padrão de mercado.

 

MODELO INTERMEDIÁRIO

NOVA CÉDULA - ANTI-FALSIFICAÇÃO

 

É isso! Esperamos com este post ter lhe ajudado, mesmo que dando uma má notícia para alguns, esclarecendo como está o mercado de dólares no mundo atualmente. De qualquer forma, nada é motivo para pavor com relação à moeda do Tio Sam. As cédulas muito antigas ainda podem ser transacionadas e utilizadas. De forma restrita, mas podem. Pior é para alguns que possuem LIBRAS muito velhas em seus cofres por exemplo. Algumas foram completamente proibidas de circulação e não são mais aceitas, exceto se você for ao banco central inglês em um local específico de Londres, preencher formulário, aguardar em fila por mais de 1 horas e, aí sim, substituí-las pelas mais recentes.

 

Por isto tudo, a motivação deste post é: não guardar cédulas por tanto tempo. Além do mais, elas podem sofrer deterioração com o passar dos anos, serem comidas por traças ou, pior caso: roubadas! Se você, como investidor, gosta de dólares, abra uma conta no exterior ou aplique reais em um fundo cambial. Caso você esteja por embarcar aos EUA e possua as cédulas mais antigas aproveite a viagem para solicitar substituição em qualquer agência bancária americana (ex: Bank of America, Wells Fargo, Citibank). Mesmo sem ser correntista geralmente os atendentes aceitam fazer a troca para o visitante, como cortesia. Em último caso, você pode recorrer ao Departamento de Tesouro Americano. Outra opção é enviar as notas para o Bureau of Engraving and Printing pelos correios, se a quantia for pequena.

 

Quer uma avaliação em suas cédulas antigas? Recomendamos cotar com a Câmbio Ideal, Casa de Câmbio de Porto Alegre, que possui ótimas taxas de compra. Envie Whatsapp com foto para (51) 99522-4726 e diga que você viu este post no Blog do Câmbio. 

 

*** ATENÇÃO ***

[POST RELACIONADO: Dólar manchado, rasgado, queimado ou mutilado. Há como trocar?. Publicado em 22/05/2018 no Blog do Câmbio. Clique aqui para ler.]

 

Att,

Gustavo Candiota

Diretor GC Prime Câmbio Inteligente

 

 

 

 

Please reload

C O M P A R T I L H E !
VOCÊ GOSTOU DESTE POST ?
BLOG DO CÂMBIO RECOMENDA