O guia completo e definitivo para economizar com câmbio. 5 dicas!

24/02/2017

Quando falamos em câmbio, diferente do que muitos pensam, não estamos nos referindo apenas à troca de moeda física. O câmbio está explícito - as vezes implícito - nos mais diversos produtos e serviços de nossa viagem ao exterior uma vez que todas as empresas envolvidas precisam montar seus preços em dólar, para não viver no risco da oscilação cambial. Portanto, devemos ficar atentos a tudo para que consigamos economizar de verdade nas conversões e no orçamento total.

 

 

 

Veja abaixo as 5 dicas definitivas para você fazer uma ótima viagem com economia de verdade ao sair do Real e ir para o dólar (ou moeda do país destino), não apenas pedindo aquele descontinho básico na hora de fazer a cotação de espécie nas casas de câmbio.

 

  1. Fique atento à a taxa de câmbio da passagem aérea. Observe se sua agência de viagem ou companhia aérea está convertendo de maneira justa o valor em real na hora que você autorizou emitir o bilhete. Faça a cotação e antes de fechar, verifique quanto está o dólar comercial em sites de internet como o Investing.com por exemplo;

  2. Observe a taxa de emissão do seu seguro viagem. Verifique uma seguradora que ofereça boas coberturas, boa condição de pagamento - algumas vendem em 5x sem juros no cartão - mas também que pratique um bom câmbio. Lembrando que o custo das apólices são todos em dólar. De nada adianta uma empresa vender uma cobertura mais barata em dólar se sempre pratica câmbio acima da concorrência;

  3. Analise o câmbio do seu hotel e aluguel de automóvel. Estes dois itens são frequentemente adquiridos em grandes portais de internet. Estas tecnologias, em websites e aplicativos de smartphone, facilitam a procura, mas podem trazer armadilhas. Você pensa que os valores são baixos, mas o câmbio na hora de transformar em reais é alto. Como saber? Já observou que a maioria dos portais da a opção de olhar as tarifas em dólar e em reais? Veja o preço em ambas as moedas, faça o cálculo e descubra qual o câmbio está sendo praticado;

  4. Se você vai usar seu cartão de crédito na viagem, verifique o câmbio que o seu banco utiliza nas faturas. Alguns bancos convertem com taxas justas, próximas do dólar comercial, outros praticam taxas altas próximas às de papel moeda. Neste último caso, recomenda-se evitar compras nele - mesmo que você deixe de ganhar milhas - e optar por espécie. Ou troque de cartão! Consulte seu banco também sobre como funciona a conversão quando a compra foi feita em uma moeda que não o dólar americano. Alguns fazem câmbio duplo! Vale destacar também que ao realizar compras no cartão de crédito, você só saberá quanto pagou em reais na data da fatura, e não no dia da compra.

  5. Por último, mas não menos importante, vamos ao mais óbvio: faça uma pesquisa em casas de câmbio para encontrar uma taxa justa ao comprar sua moeda para os gastos gerais na viagem. Falamos "justa" e não "a mais barata", pois nos locais que fazem loucuras pelo cliente, recomendamos desconfiar. Trabalhar com custódia de moeda traz um alto custo às empresas e é no spread (diferença entre a taxa comercial e a turismo) que elas criam suas receitas, então se você encontrou um local muito abaixo da média de sua cidade, pode não ser uma boa opção. O barato sairá caro. Peça sempre o recibo de câmbio oficial. Aliás, faça sempre câmbio oficial, a economia com doleiros pode custar caro quando você descobrir que uma ou mais cédulas eram falsas. E talvez você só descubra isso ao ser preso pelas autoridades do país em questão após o estabelecimento que recebeu denunciá-lo.

 

Atenção: Se você optou por adquirir um pacote completo em sua agência de viagens (recomendado para quem quer ter mais comodidade, uma viagem mais otimizada e suporte em caso de problemas), verifique o câmbio médio que a empresa utilizou ao fechar o pacote. Estas empresas podem e devem cobrar um pouco a mais pra valorizar o serviço de alto nível que fazem para você, e para que fiquem disponíveis 24/7 se algum problema ocorrer durante a viagem, mas é recomendado que o passageiro fique atento ao câmbio praticado. Que seja justo.

 

Sobre alíquotas: Atenção! não esqueça que no cartão de crédito você paga 6.38% de IOF. É recomendado optar por espécie (1.1% IOF) ou, melhor ainda, se você tiver conta bancária no país destino, fazer uma remessa internacional (apenas 0.38% IOF + taxa de contrato) para quando estiver lá usar o cartão de débito da conta corrente;

 

Dica final: parece meio óbvia, mas sempre vale lembrar! Procure fazer negócio com empresas que possuem a mesma conta bancária que você. Haverá economia com tarifas de doc e ted. Tente também optar por locais próximos de sua residência ou trabalho, de forma que evite-se custos altos com estacionamento e gasolina. Se somarmos todas as vezes que foi necessário ir até sua agência ou casa de câmbio e todos os pagamentos diferentes que foram realizados, pode estar escondido aí pelo menos uns 500 reais, acredite! Só é recomendado evitar economias na hora de buscar moeda física. Neste caso, procure uma empresa que ofereça entrega à domicílio cortesia! E boa viagem!

 

Tenham todos um ótimo fim de semana!

 

Att
Gustavo Candiota

Diretor GC Prime Câmbio Inteligente

 

 

Please reload

C O M P A R T I L H E !
VOCÊ GOSTOU DESTE POST ?
BLOG DO CÂMBIO RECOMENDA
Cobertura Global!
car rental_edited.png
booking_edited.png

Vai pegar a estrada? Alugue seu carro no portal Rentcars! Compare os preços em mais de 100 locadoras!