Conheça a definição dos principais termos usados no câmbio

13/10/2018

Para quem vive o mercado financeiro e o setor de turismo, são palavras comuns. Mas mesmo os que fazem câmbio com frequência e viajam bastante, talvez se confundam com algumas. Já para os que não costumam sair do país, pode parecer grego. Se você está por ir ao exterior pela primeira vez ou precisa enviar dinheiro para fora, leia este post. Algumas definições simples podem ser cruciais para a tomada de decisão mais correta.

 

ACC - Antecipação parcial ou total do preço da moeda estrangeira comprada por um banco, ao exportador, para entrega futura. Tem por finalidade proporcionar recursos aos exportadores para o contínuo exercício de seu comércio; constitui, portanto, incentivo à exportação, ao mesmo tempo em que enseja ao banco oportunidade para aquisição de divisas.​

Ancora cambial - Referência de valor oficial estabelecida entre a moeda de um país com elevada taxa inflacionária e uma moeda forte (dólar, marco, iene) com pequenas flutuações no mercado internacional.​

Banco Central - O Banco Central do Brasil é uma autarquia federal, vinculada ao Ministério da Fazenda, que tem por missão assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda e um sistema financeiro sólido e eficiente. Entre as suas atividades principais destacam-se: a condução das políticas monetária, cambial, de crédito, e de relações financeiras com o exterior; a regulação e a supervisão do Sistema Financeiro Nacional (SFN); e a administração do sistema de pagamentos e do meio circulante.

 

Casa de câmbio - Uma casa de câmbio é uma empresa que oferece a troca de uma moeda por outra. As casas de câmbio são instituições financeiras dedicadas à compra e venda de divisas de diferentes países e que podem ou não estar vinculadas a banco ou outras instituições financeiras.

Câmbio - Câmbio é uma operação que consiste em trocar uma moeda por outra. Negócio de troca ou de compra e venda de moedas e, acessoriamente, de metais preciosos, papel-moeda, títulos de dívida pública, ações de companhias etc.​

Câmbio atrelado - Uma taxa de câmbio atrelada é aquela que tenta ser fixa e flutuante ao mesmo tempo — e obviamente não consegue ser nenhuma das duas. Na prática, uma taxa de câmbio atrelada ocorre quando o Banco Central faz intervenções diárias no mercado cambial para manter a moeda nacional flutuando dentre de bandas arbitrariamente determinadas pelo próprio Banco Central.​

Câmbio comercial - As expressões "câmbio comercial" ou "dólar comercial" são usadas para as demais operações realizadas no mercado de câmbio, tais como: exportação, importação, transferências financeiras, etc. Essas expressões são utilizadas mesmo quando as operações são realizadas em outras moedas estrangeiras, como o euro, iene, etc. A cotação do dólar comercial é definida pelo mercado, pela lei da oferta e da demanda, embora o Banco Central costume intervir comprando ou vendendo moeda para evitar uma desvalorização (ou valorização) muito acentuada.​

Câmbio flutuante - A taxa de câmbio flutuante é a taxa vigente na maioria dos países do mundo (majoritariamente em sua versão de "flutuação suja").  Mesmo os países que utilizam o euro possuem uma taxa de câmbio flutuante em relação a todos os outros países que não utilizam o euro. Nesse regime cambial, o Banco Central estipula apenas a política monetária, ou seja, ele controla a taxa básica de juros e a base monetária.  O Banco Central não possui nenhuma política cambial explícita. A taxa de câmbio varia diariamente ao sabor da oferta de moeda estrangeira, da demanda de estrangeiros pela moeda nacional e, principalmente, da percepção dos investidores estrangeiros e dos especuladores quanto à situação econômica e política do país.​

Câmbio fixo - Sob um arranjo de taxa de câmbio fixa, a taxa de câmbio, obviamente, tem de ser estritamente imutável ao longo do tempo. É comum confundir taxa de câmbio fixa com taxa de câmbio atrelada.  Na taxa de câmbio atrelada, que foi a que vigorou no Brasil durante os anos de 1995 a 1998, a taxa de câmbio varia diariamente, só que dentro de bandas estritamente determinadas pelo Banco Central.  Tal arranjo, que será estudado mais abaixo, é inerentemente instável, ao contrário da taxa de câmbio fixa. Um arranjo de taxa de câmbio fixa dificilmente pode ser implantado por um Banco Central, pois a função clássica de um Banco Central é estipular juros e manipular a base monetária. Um arranjo de câmbio fixo só pode funcionar bem por meio de um Currency Board.​

Câmbio paralelo - É o mercado de câmbio onde se realizam as operações entre pessoas não autorizadas pelo Banco Central do Brasil. Esta atividade, também conhecida como mercado paralelo ou câmbio negro, é ilegal e configura-se como crime contra o sistema financeiro.​

Câmbio turismo - A terminologia “câmbio turismo” ou “dólar turismo” é utilizada vulgarmente para classificar as operações relativas à compra e venda de moedas para viagens ao Exterior. As operações de câmbio têm diferentes características, de acordo com a natureza, com custos administrativos, financeiros e diversos.​

Contrato de câmbio - O Contrato de Câmbio é o instrumento firmado entre o vendedor e o comprador de moedas estrangeiras, no qual se mencionam as características completas das operações de câmbio e as condições sob as quais se realizam. Ele tem por objeto a troca de divisas.​

Corretora de câmbio - As corretoras de câmbio realizam principalmente compra e venda de moeda estrangeira e intermediação de contratos de câmbio. As corretoras de câmbio atuam, exclusivamente, no mercado de câmbio, intermediando operações entre clientes e bancos ou comprando e vendendo moedas estrangeiras de/para seus clientes. Algumas corretoras de valores também possuem autorização para operar câmbio.​

Dealer de câmbio - São os bancos por meio dos quais o Bacen atua no mercado de câmbio, são escolhidos dentre as instituições autorizadas a operar em câmbio, segundo critérios de volume de negócios e qualidade na prestação de informações ao Banco Central (Carta Circular 3.027),​

Divisas - Divisas são as moedas estrangeiras conversíveis e também as letras, cheques, ordens de pagamento etc. emitidos nessas moedas. ​

Dólar-cabo - Dólar-cabo é o termo usado para transferências de recursos "do" e "para" o exterior, por empresas e/ou pessoas não autorizadas pelo Banco Central do Brasil a realizar operações de câmbio e/ou fora dos mecanismos oficiais de registro e controle (troca de favores). As operações dólar-cabo podem configurar o crime de lavagem de dinheiro (branqueamento de capitais) quando utilizadas para ocultar a origem ilícita de recursos, bens e valores de modo transitório ou permanente, por dissimulação da origem ou do verdadeiro proprietário dos fundos.​

Doleiro - Doleiro é o indivíduo que compra e vende dólares no mercado paralelo, ou seja, sem registro junto ao Banco Central, sem nota fiscal, sem pagamento de imposto. Trata-se de atividade ilícita e configura crime contra o sistema financeiro pois o mesmo pratica sonegação fiscal e evasão de divisas.​

Fundo cambial - Fundos cambiais são fundos de ações que permitem que os investidores individuais troquem a titularidade de uma ação individual para as unidades no fundo cambial a uma taxa de comum acordo para troca. A natureza de swap da transação significa que fundos cambiais também são conhecidos como fundos de swap. Trata-se de uma aplicação com rentabilidade atrelada à variação do Dólar americano, disponível a qualquer correntista dos bancos comerciais. É vantajoso para quem aposta na alta do dólar e quer ganhar com isto, mas sem precisar ter a custódia (e o risco) da moeda em espécie em custódia.​

Letras de câmbio - Letras de Câmbio (LC) são títulos de renda fixa emitidos pelas instituições financeiras para captar recursos no mercado e emprestar aos clientes. Trata-se de um de título de crédito negociável no mercado. Consiste em uma ordem de pagamento em que uma pessoa ordena que uma segunda pessoa pague determinado valor para uma terceira. Deve trazer, de forma explícita, o valor do pagamento, a data e o local para efetuá-lo.A letra de câmbio é mais usada em operações de crédito entre financiadoras e comerciantes.

 

Moeda - Moeda é o meio pelo qual são efetuadas as transações monetárias. É todo ativo que constitua forma imediata de solver débitos, com aceitabilidade geral e disponibilidade imediata, e que confere ao seu titular um direito de saque sobre o produto social.

 

Mercado de câmbio - O mercado de câmbio engloba as casas de câmbio e todos os agentes econômicos que realizam transações com o exterior, sendo regulamentado pelo Banco Central segundo sua política cambial.​

Paridade cambial - Paridade cambial é a relação de poder aquisitivo entre moedas de distintos países. A moeda traduz uma relação de forças de mercado, onde cada mercadoria tem seu valor cotado. O preço, decorrente em grande parte do valor, expressará a competitividade de uma mercadoria. O valor de uma mercadoria decorre, por sua vez, do tempo social médio do gasto indiferenciado de energia humana que concorre para sua elaboração. 

 

Política cambial - Política cambial é o conjunto de ações e orientações ao dispor do Estado destinadas a equilibrar o funcionamento da economia através de alterações das taxas de câmbio (preço das moedas estrangeiras medido em moeda nacional) e do controle das operações cambiais.

PTAX - Ptax é uma taxa de câmbio calculada durante o dia pelo Banco Central do Brasil. Consiste na média das taxas informadas pelos dealers de dólar, quais sejam: importação, exportação, compra e venda do financeiro das empresas, e também pela negociação de compra e venda entre os bancos (interbancário) durante 4 janelas do dia e definida ao final do expediente. É a taxa de referencia para o valor do Dólar de D2 (em dois dias úteis).

Regime cambial - É a política de câmbio que prevê uma banda para a flutuação do real frente ao dólar. Existem três tipos de regimes cambiais: taxa de câmbio flutuante, taxa de câmbio fixa e taxa de câmbio atrelada.  Cada uma dessas taxas possui características diferentes e gera resultados distintos. ​

Reservas internacionais - As reservas internacionais são os depósitos em moeda estrangeira dos bancos centrais e autoridades monetárias. São ativos dos bancos centrais que são mantidos em diferentes reservas, como o dólar americano, o euro ou o iene, e que são utilizados no cumprimento dos seus compromissos financeiros, como a emissão de moeda, e para garantir as diversas reservas bancárias mantidas num banco central por governos ou instituições financeiras.

 

Spread - Spread é a diferença entre o valor que a casa de câmbio compra a moeda do banco e vende a mesma para você. Este é o ganho bruto da empresa na operação.

 

SWIFT- Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication. Uma organização cooperativa criada e dirigida pelos bancos. Opera uma rede que facilita a troca de pagamentos e outras mensagens financeiras entre instituições financeiras (incluindo corretoras–mediadores (brokers-dealers) e firmas de valores) em todo o mundo. Uma mensagem de pagamento S.W.I.F.T. é uma instrução para transferir fundos; o intercâmbio de fundos (liquidação) se realiza subseqüentemente em um sistema de pagamento ou por meio das relações de bancos correspondentes. O código Swift, na verdade ISO 9362 (também conhecido como código BIC), é uma norma da organização aprovada pela ISO com a finalidade de identificar uma instituição bancária por meio de um código único de 8 ou 11 caracteres. Cada banco no mundo teu seu código SWIFT único, exceto os de menor porte que utilizam os grandes como roteadores (intermediary banks).

 

Swap cambial - A palavra “Swap” tem como significado “troca, permuta” no idioma inglês. Também conhecida como hedge (cobertura de risco) cambial, a swap cambial é uma operação de câmbio em que há simultaneamente a compra e a venda de moedas. Os valores iniciais, ou seja, o tamanho do contrato, os indicadores e a data de vencimento são livremente pactuados entre as partes. No leilão de contratos de "swap cambial reverso", as instituições financeiras que compram esses contratos recebem uma taxa de juros. O Banco Central, que vende os papéis, ganha a variação cambial do período de validade dos contratos. Esses títulos são chamados de "reversos" porque o mais comum é o Banco Central receber uma taxa de juros e pagar a variação do câmbio.

 

Taxa de câmbio - Taxa de câmbio é o preço de uma moeda estrangeira medido em unidades ou frações (centavos) da moeda nacional. A taxa de câmbio é a relação cambiária que existe entre duas moedas de países diferentes. Este dado estabelece com qual quantidade da moeda X se obtém em troca da moeda Y.

 

Wire Transfer - Também conhecida como Bank Transfer ou Credit Transfer, Wire Transfer é o termo comumente utilizado - principalmente nos Estados Unidos - para se referir à transferência bancária, diretamente para a conta do beneficiário. Sejam operações domésticas ou internacionais (International Wire Tranfers). Na tradução literal, "Wire" significa "fio". O termo "Wire" foi criado pela Western Union em 1872 em sua rede de telégrafo. Um operador em um escritório "conectava" (por fios) um escritório à outro transmitindo uma mensagem permitindo que o destinatário pudesse sacar o dinheiro solicitado pelo remetente.

 

Fonte: GC Prime - Dicionário de Câmbio.

 

Mais algum termo que você ouviu ou leu e gostaria de esclarecer? Comente abaixo que responderemos em breve.

 

Att

Gustavo Candiota

Diretor GC Prime Câmbio Inteligente.

 

 

Please reload